A Indústria Vinícola No Vale Do São Francisco e As Estratégias de Inserção No Mercado Nacional: Uma Revisão Bibliográfica

Pedro Vieira Souza Santos

Abstract


O termo estratégia tem se tornado um assunto muito utilizado pelas organizações, sendo a mesma realizada de diversas maneiras pelos gestores da organização que define e implanta as estratégias nas empresas. (FERNANDES et al., 2013). Assim observado, no ambiente empresarial de hoje as empresas que conseguem atuar com qualidade como forma de satisfazer o cliente terão uma maior competitividade no mercado em que atuam, garantindo assim sua sobrevivência e permanência e talvez até expansão no mercado. Logo, o objetivo central deste artigo foi estudar, a partir da revisão da literatura, as estratégias de inserção no mercado brasileiro e as barreiras enfrentadas pelas as vinícolas do Vale do São Francisco pernambucano. Tal investigação se deu com base nos conceitos de Cadeias Agroindustriais e Coordenação de Cadeias Produtivas, os quais abrangem as relações entre fornecedores e clientes e as estratégias competitivas. Pôde-se concluir que apesar de ser um setor consolidado no Mercado local, a indústria vinícola ainda enfrenta diversas barreiras que comprometem seu desenvolvimento a nível Nacional.


Keywords


Indústria vinícola; Estratégia; Revisão bibliográfica.

References


Azevedo, P. F. (2007). Comercialização de produtos agroindustriais. In: BATALHA, M. O. (Coord.). Gestão Agroindustrial. 3.ed. São Paulo: Atlas, p. 63-112.

BARBOZA, S. I. S; ALMEIDA, P. L. P; ALMEIDA, S. F. (2009). Composto de marketing: um estudo multicaso entre empresas do setor de restaurantes de Campina Grande – PB. In: XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO: Salvador, BA, Brasil, 06 a 09 de outubro de 2009.

BATEMAN, T. S. SNELL, S. (1998). Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo: Atlas.

BIASOTO, A.C.T., PEREIRA, G.E., OLIVEIRA, J.B., MENEZES, T.R., LEÃO, P.C.S. (2014). Efeitos da desfolha e desponte de ramos sobre a composição físico-química de Syrah elaborados em dois ciclos de produção no Vale do São Francisco. In: Congresso Brasileiro de Fruticultura, 23, Cuiabá. Anais. Cuiabá: SBF.

BUCHERONI, F. (2015). Planejamento estratégico: Curso Online Endeavor. Disponível em: < http://cursos.endeavor.org.br/ > Acesso em: 18 Mai. 2017.

CAMPOS, V. F. (2004). TQC: controle da qualidade total : no estilo japonês. 8.ed. Nova Lima: INDG Tecnologia e Serviços, 256p.

CHIAVENATO, I. (2007). Administração: Teoria, Processo e Prática. Rio de Janeiro: Elsevier.

CORRÊA, R. M; MURINI, L. T; BECKER, D. V. Becker; BOLIGON, J. A. R. (2012). Análise do composto de marketing segundo a visão dos consumidores na ferragem rio branco. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências Sociais Aplicadas, Santa Maria, v. 8, n. 1, p. 1-17.

CRISÓSTOMO, A. P. SICSÚ, A. B. (2009). Inovação Tecnológica Competitiva no Semiárido do Vale do São Francisco: um estudo das empresas vinícolas. In: Anais do Congresso de Desenvolvimento Regional de Cabo Verde. Praia.

DEBASTIANI, G. LEITE, A. C. JUNIOR, C. A. W. BOELHOUWER, D. I. (2015). Cultura da uva, produção e comercialização de vinhos no Brasil: origem, realidades e desafios. Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, v.20, n.2, p. 471-485, jul./dez.

DIAS, S. R. (2003). Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva.

FERNANDES, I. et al. (2013). Planejamento Estratégico: Análise SWOT. Três Lagoas-MS.

FERRELL, O. C.; HARTLINE, M. D. (2009). Estratégica de Marketing. Tradução: All Tasks; Marleine Cohen. 4 ed. São Paulo: Cengage Learning.

FILHO, V. A. V; PERESIN, G.L. (2011). Vantagem competitiva: uma releitura teórica de Porter. Área Temática: Estratégia Empresarial. In: VIII Convibra Administração – Congresso Virtual Brasileiro de Administração.

G1 – Portal de notícias. Produção de vinhos está em alta nas vinícolas do Vale do São Francisco. 2017. Disponível em . Acesso em 27 mai. 2017.

GOUVÊA, M. A. NIÑO, F. M. (2010). A diferenciação no processo de posicionamento de marketing e o setor de turismo. Gestão & Regionalidade - Vol. 26 - Nº 76 - jan-abr.

GUETTA, A. et al. (2013). Franchising: Aprenda com os especialistas. Bilíngue. Rio de Janeiro: ABF-Rio.

IBRAVIN - INSTITUTO BRASILEIRO DO VINHO. Regiões produtoras. Disponível em: . Acesso em 21 mai. 2017.

JUNIOR, A.B.; BORNIA. A.C. (2011). “Proposta de instrumento de medida para avaliar a satisfação de clientes de bancos utilizando a teoria da resposta ao item.” São Carlos.

KOTLER, P. KELLER, K. L. (2012). Administração de marketing. 14. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

KOTLER, P. (2000). Administração de marketing: a edição do novo milênio. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

KOTLER, P. ARMSTRONG, G. (2003). Princípios de marketing. 9.ed. São Paulo: Prentice Hall.

KOTLER, P. KELLER, K. L. (2006). Administração de marketing. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

LIMA, J. P. R. (2006). Cachaça Artesanal e Vinhos Finos no Nordeste: Desafios, Potencialidades e Indicações de Políticas. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 37, nº 4, jul-set.

LINS, H. S. SILVA, M. M. N; ABREU, H. J. L. F. M; COSTA, A. C. S. (2010). Estratégias de marketing utilizadas por comerciantes informais: o caso do churrasquinho. In: XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. São Carlos, SP, Brasil, 12 a 15 de outubro de 2010.

LUZ, G. I. (2014). Posicionamento e construção de imagem através do facebook: estudo de caso da fanpage da prefeitura municipal de Curitiba. Trabalho de conclusão de curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

NÓBREGA, I. N. S. F. (2004). Crescimento e desenvolvimento da fruticultura irrigada no vale do São Francisco. 2004. 59 f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) – Universidade Católica de Pernambuco, Recife.

OLIVEIRA, L. M.; PEREZ JR., J. H.; SILVA, C. A. S. (2005). Controladoria Estratégica. 3 ed. São Paulo: Atlas.

PORTER, M. E. (1999). Competição: estratégias competitivas essenciais. 14. ed. Rio de Janeiro: Campus.

PORTER, M. E. (2004). Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus.

ROSA, S. E. S; SIMÕES, P. M. (2004). Desafios da vitivinicultura brasileira. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 19, p. 67-90, mar.

SATO, G. S. (2006). Vinhos brasileiros: é possível a internacionalização? Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 243-259, jul./dez.

SILVA, Débora Oliveira da; BAGNO, Raoni Barros e SALERNO, Mario Sergio. (2014). Modelos para a gestão da inovação: revisão e análise da literatura. Production, v. 24, n. 2, p. 477-490. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/prod/2013nahead/aop_0750-12.pdf. Acesso em 01 Mai. 2017.

SILVA, P.C.G da. (2001). Articulação dos interesses públicos e privados no pólo PetrolinaPE/Juazeiro-BA. Tese (Doutorado em Economia), Campinas, Curso de doutorado em Economia do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

SOUZA, A. C. R. MACEDO, J. S. Sérgio Carvalho Benício Mello. (2011). A Representação do Vinho do Vale do São Francisco na Mídia Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 8, n. 3, p.6-32, jul./set.

SOUZA, A. C. R. (2009). O “Circuito da Cultura” e a estruturação de um discurso: fazendo sentido do vinho do Vale do São Francisco / Angela Cristina Rocha de Souza. - Recife: O Autor, 2009. 268 folhas: quadro. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco. CCSA. Administração.

SOUZA, A. C. R; MACÊDO, J. S; MELLO, S. C. B. (2011). A representação do vinho do vale do são francisco na mídia. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 8, n. 3, p.6-32, jul./set.

TOLEDO, M. L; FERREIRA, K. A. (2016). Adoção da estratégia de postponement em uma empresa vitivinícola de minas gerais. In: XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCÃO: João Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de outubro de 2016.

VITAL, T. (2009). Vitivinicultura no Nordeste do Brasil: Situação Recente e Perspectivas. Documentos Técnico-Científicos: Revista Econômica do Nordeste. v. 40, nº 03, Julho – Setembro.

VITAL, T. W.; MORAES, F. R.; FERRAZ, F. Z.E. (2005). Vitivinicultura no Nordeste do Brasil: um arranjo produtivo em expansão. In: CONGRESSO DA SOBER, 43, 2005, Ribeirão Preto. Anais. Ribeirão Preto.




DOI: https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2017.v9i3.317

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Future Studies Research Journal: Trends and Strategies

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Future Stud. Res. J. e-ISSN: 2175-5825

Mailing Address: Avenida Drª Ruth Cardoso, 7221 - CEP 05425-070 - Pinheiros - São Paulo/SP - Brasil

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.